6 rolês que você tem que experimentar em setembro

Setembro já começou mal. Primeiro, meu namorado me manda uma mensagem avisando que Museu Nacional do Rio de Janeiro estava em chamas (eu tô bem devastada com isso) e, logo em seguida, descubro que esqueci de pagar os boletos do MEI dos últimos meses (achei que tava agendado, não tava, temer ganhou R$ 12 extras). Apesar disso, honestamente espero que esse mês se mostre melhor do que esses primeiros dias.

Torcendo por isso, a #Redação36 preparou uma listinha de coisas diferentes que você pode fazer  neste mês de setembro para amenizar o sofrimento pré-eleição. Tem dica sobre como se atualizar profissionalmente, como cuidar melhor da pele e até sobre como ignorar as redes.

Chuta essa desgraça pra lá e vem experimentar coisas novas ❤

  1. Se inscrever em uma newsletter legal
    por Jennifer Baptista

Essa dica é para quem ama newsletters, assim como eu. Graças à dica da amiga Tássia, conheci uma news bem especial. Trata-se da “Notes from the Universe”, uma cartinha diária (de segunda a sexta) onde tu recebe um recado do Universo. Pode parecer meio bobo, meio horóscopo, mas em meio ao caos da vida moderna, às vezes é bom ser lembrado da imensidão do cosmos e de que não passamos de poeira espacial – mas temos um papel importante nesse todo. O projeto é do site The Universe Talks (TUT), criado pelo Mikey Dooley, e fala sobre a toda a mágica da vida, do universo e tudo mais. É como se fosse um bilhetinho da sorte diário e pode ser o suficiente para dar uma forcinha no começo da manhã. Quer ouvir o que o Universo tem a te dizer? Te inscreve aqui.

  1. Utilizar o comando de voz do celular (e dar um descanso para a sua mão)
    por Gabriela Cavaheiro

Uma tendinite assombrosa na minha mão direita me fez ir ao pronto socorro, onde o médico me colocou em uma tala, me deu uma injeção na bunda e mandou eu tomar remédio. Nada poderia ser pior na vida de uma jornalista freelancer, não é mesmo? Durante uma semana fiquei com a mão principal imobilizada e tive que descobrir formas de fazer coisas cotidianas com a esquerda. Destros, já tentaram arrumar o cabelo com a outra mão? Ou se limpar depois de ir no banheiro usando a esquerda? Agora eu entendo a dor dos canhotos na hora de usar uma tesoura… Como eu não conseguia digitar direito, muito menos escrever, comecei a usar o recurso de comando de voz do Google. É algo super simples que eu continuei utilizando mesmo depois de tirar a tala, só por praticidade mesmo. Redigi vários e-mails com ele e pude diminuir a quantidade de áudios enormes no WhatsApp. Meus tendões e meus amigos agradecem.

Ah, também dá pra usar o recurso pra redigir textões sobre política e xingar o governo brasileiro por jogarem a ciência e a cultura do país na fogueira, literalmente (eu avisei que tava devastada).

  1. Repensar hábitos e não ficar conectada o tempo todo
    por Natasha Heinz

Eu fiquei dois meses sem wifi em casa e foi uma experiência, no mínimo, interessante. Apesar de ter 3G no celular, a internet rápida não durou muito, de modo que passei as duas últimas semanas de cada mês sem poder carregar o Instagram direito. Não vou ficar aqui mentindo e dizendo “NOSSA, todo mundo tem que fazer isso, vai mudar sua vida” porque eu fiquei muito feliz quando finalmente me mudei pra um lugar com wifi. Porém, a experiência me ajudou a repensar a minha relação com a internet, redes sociais e com o meu celular. Eu sempre disse que PRECISAVA estar online o tempo todo e com o celular na mão por causa do trabalho – mas, olha só, o site não explodiu sem que eu estivesse checando as notificações de cinco em cinco minutos. Eu aprendi que nada vai acontecer (nem os likes diminuirem) se eu não ver TODA a minha timeline do Instagram. E, nossa, como ficou mais fácil me concentrar em escrever a minha dissertação e fazer coisas ridiculamente simples tipo ler um livro. Por isso, a minha dica não é exatamente ficar sem internet (porque né), mas tentar repensar nossos hábitos e desenvolver novos que nos tornem menos dependentes de checar o celular – ou menos, reaprender a viver sem ele tocando o tempo todo. Lembra como isso era fácil há bem pouco tempo?

  1. Fazer cursos online grátis
    por Roberta Reis

Geralmente acabo desistindo. Aí lembrei que uma vez, pra poder me candidatar a freelancer da Rock Content, fiz um curso online gratuito, que tá lá pra qualquer um fazer. Resolvi pesquisar e descobri que tem muuuitos cursos e certificações disponíveis por aí e provavelmente tem algo da sua área. Claro que não vai substituir faculdades ou cursos técnicos, mas às vezes serve até pra ter certificado de algo que você já sabia e não tinha como provar. No caso da Rock Content, quando você termina já adiciona o diploma direto no LinkedIn. Vale a pena dar uma procurada.

  1. Fazer um piercing que você deseja há tempos
    por Cindy da Rosa

Já faz um tempo que aprendi a diferença entre a pessoa que eu sou hoje e aquela que eu gostaria de ser. Dona de uma imaginação fértil, na minha cabeça eu sou uma pessoa dez vezes mais descolada e despreocupada com as coisas. Ultimamente eu tenho focado em realizar pequenas coisas que me aproximem dessa versão melhorada de mim mesma, e no último mês foi a vez de fazer um piercing no mamilo. Eu tinha me apaixonado por essa ideia quando, uns dois anos atrás, vi que Rihanna tinha um. Mas vamos combinar que é covardia se comparar com alguém tão cool como ela, né!? A ideia ficou amadurecendo no meu subconsciente e depois de descartar todos os motivos pelos quais eu não deveria fazer (comparações com o peito dos outros foi o maior empecilho para a minha decisão), eu decidi que 2018 era o ano que isso tinha de acontecer. Meio que no impulso, eu marquei um horário depois de pesquisar sobre a parte técnica do negócio, e rezei pro Universo que desse tudo certo. E deu! Doeu pra caramba na hora, a cicatrização ainda está acontecendo mesmo depois de um mês, eu continuo achando os peitos dos outros mais bonitos que o meu, mas eu nunca me senti tão badass na vida. E nunca me senti tão eu mesma!

  1. Cuidar da pele com produtinhos em conta
    por Gabriela Cavalheiro

View this post on Instagram

Preferido da semana, talvez do mês e da vida: Creme da Latinha Azul da @niveabrasil. Tudo começou quando vi um vídeo da @karolpinheiro . É Claro que eu já conhecia o esse tradicional hidratante, mas fui buscar mais informações no google e vi a comparação Nivea x La Mer (hidratante super famoso e dizem ser o mais caro do mundo) e por incrível que pareça o nosso baratinho da latinha azul se saiu muito melhor. Eu estou usando no rosto, diariamente, há um mês antes de dormir e estou adorando, o creme contém Eucerit que poderoso na hidratação. Desliza a foto para ver que textura MARA! #dicagsf #guriasemfiltro #skincare #nivea #eucerit #cremedalatinhaazul #pele #hidratatefacial #cuidadoscomapele #lamer

A post shared by MONE FREITAS @monefreitas (@guriasemfiltro) on

Há meses eu tinha visto esse post do Guria Sem Filtro e fiquei com vontade de testar o creme da Nivea. Em uma das minhas idas e vindas na Panvel no mês passado, resolvi dar uma chance para essa latinha azul que tem muita cara de coisa de vó. Usei o creme no rosto, todos os dias antes de ir dormir e em pouco tempo percebi a diferença. Parece que as manchas de acne deram uma amenizada e os poros ficaram mais controlados. Minha pele é oleosa, então preciso cuidar para passar uma camada fina do produto – se eu me empolgo demais, dá pra fritar um ovo na minha testa no final da semana. Por enquanto, tô gostando da experiência. Espero que dê bons resultados a longo prazo.

Confira as nossas indicações anteriores:

Leia também:

Anúncios

3 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s