Documentários para quem não gosta de documentários

O nome parece contraditório, mas explico: tenho uma certa dificuldade para assistir documentários. Talvez seja algum trauma causado pelos formatos clichês e assuntos chatos, aqueles que eram exibidos na escola ou talvez seja a dificuldade de encarar assuntos da vida real, quando é tão fácil se distrair com uma ficção. Fato é que sempre coloco vários títulos na lista da Netflix e penso “Quero muito ver!!! Mas hoje não…”.

Daí teve um dia desses que assisti um, me empolguei e acabei assistindo 4 dos que estavam na lista em 4 dias seguidos. Eis o resultado.

1 – Gaga: Five foot two

Fui arrastada pela onde de empolgação que percebi nas redes sociais quando esse documentário entrou na Netflix. Outros docs de outras cantoras estão há tempo na lista e eu ainda não assisti (dsclp, Amy). Mas, como não fazia ideia do que viria, fui pega de surpresa por uma história bem emocionante de uma Lady Gaga sensível e uma grande artista. A partir das cenas que mostram a transição de Gaga antes de Joanne pra Gaga depois de Joanne, entendemos melhor as emoções da cantora e ouvimos relato que nos fazem entender todo aquele momento da Lady Gaga “causadora” que de uns anos atrás.

2 – Embrace

Lembra de um “antes X depois” que viralizou esses tempos porque o antes era de uma fisiculturista e o depois de uma mulher normal, com curvas, gordurinhas, sem photoshop e nua em uma foto sem produção? Pois então, é a Taryn Brumfitt, essa mulher maravilhosa que estava cansada de ver tantas mulheres INCRÍVEIS sofrendo por causa da aparência e, depois do estouro dessa imagem na internet, resolveu fazer um documentário abordando os problemas dos padrões de beleza sob diversos ângulos. Assistam, pois é lifechanging!

3 – Jim & Andy: the great beyond

Eu nem sabia do que se tratava a produção quando resolvi assistir, apenas o que estava na péssima sinopse da Netflix (ninguém é perfeito e esse é o defeito da Net :/). Fui descobrindo enquanto assistia. O doc mostra os bastidores do filme O mundo de Andy, no qual Jim Carrey interpretou o humorista, falecido em 1984. Mas além de algumas surpreendentes terem acontecido, Jim traz boas reflexões sobre a vida que me deram vontade de sentar com ele em uma mesa de bar e debater longamente.

4 – A 13ª emenda

Indicado ao Oscar 2017, este doc é tão bom quanto doloroso. Um soco no estômago que conta a história do racismo. Como ele foi criado, instaurado na sociedade e alimentado até os dias atuais. Esse sim é o tipo de documentário que deveria passar na escola.

apenas ouça Angela Davis
Anúncios

5 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s