Instapoetry: uma geração de poetas nascendo online

Se teve um livro que ganhou o coração dos brasileiros em 2017, esse livro foi “Outros jeitos de usar a boca”, de Rupi Kaur. É praticamente impossível conhecer alguém que não o tenha lido ou não saiba de sua existência. Nossos feeds do Instagram se encheram de fotos de seus poemas e ilustrações, o que não poderia ser mais adequado devido à origem do sucesso da autora: foi através do Instagram que Kaur ganhou notoriedade e estabeleceu uma forte base de fãs.

tumblr_nqw1foPaFV1ut29xco1_500

Com a relação próxima dos millenials com seus smartphones, era de se esperar que até mesmo a relação que possuímos com a literatura ganhasse um novo sentido. A capacidade que temos de nos adaptar e reformular nossas ideias é incrivelmente bem-vinda quando se trata de expressar nossos sentimentos. Existe um grupo de poetas que viram essa relação como uma oportunidade de divulgar seu trabalho no Instagram, usando o vício de uma geração inteira ao seu favor, nascendo então um novo gênero literário apelidado de instapoetry (poesia instantânea, na tradução literal).

A ideia consiste basicamente em postar poemas no Instagram. Bastante óbvio, não? Em sua base, a poesia instantânea não se diferencia muito da tradicionalmente conhecida. Normalmente com parágrafos curtos e abrangendo os mais diversos temas, é o fato de ser compartilhada online e estar disponível para milhares de pessoas em instantes que define essa nova forma de literatura. Um gênero antes reservado a “entendedores de literatura” e rodeado de arrogância e prepotência, esse novo conceito promete popularizar a poesia da melhor maneira possível.

Acontece que em uma era na qual estamos perdendo o contato pessoal para o virtual, qualquer maneira de aproximação é bem vinda. A instapoetry é a mão que se estende na direção de todas as pessoas que achavam estar sozinhas em um sentimento. É relacionável, reconfortante e problematizadora, tudo o que millenials precisam e amam em uma só fonte. Além do mais, as opções de entretenimento tem se mostrado cada vez mais diversificadas e interessante (vulgo Netflix), então é uma vitória importante fazer com que internautas se interessem e se aproximem cada vez mais da literatura.

tumblr_nrsem4VRgm1tpri36o1_500

Se interessou por esse conceito? Reunimos aqui cinco autores para quem quer conhecer esse novo mundo:

Rupi Kaur

Provavelmente a mais conhecida de todos, Rupi Kaur foi a primeira dessa lista que ganhou tradução para o português. A sua grande popularidade no Brasil tem aberto o olhos de pessoas antes avessas a poesia para o gênero. Além de seu sucesso “Outros jeitos de usar a boca”, a autora lançou recentemente o tão esperado livro “The sun and her flowers”, ainda sem tradução para o português.  Recomendamos a leitura de qualquer um dos dois para começar a imersão nesse mundo.

Você deve ter notado
que estava enganado
quando seus dedos estavam
enfiados em mim
procurando o mel que
não jorraria por você

Iain S Thomas

Dono da poesia mais compartilhado do Tumblr (onde o autor teve seu início), Iain S Thomas traz aos seus leitores um livro recheado de poesias de amor e perda, sempre acompanhadas de fotografias incrivelmente sensoriais feitas por Jon Ellis. Por mais que seu sucesso não se deva ao Instagram especificamente, ele se encaixa perfeitamente na categoria de autores que começaram sua carreira compartilhando seu trabalho na internet e ajudaram a expandir o universo da poesia instantânea.

And then my soul saw you and it kind
of went
"Oh there you are. I've been looking
for you."

Nayyirah Waheed

Com estilo bastante semelhante ao de Rupi Kaur, ela conseguiu conquistar a tarefa que todos que leem “Outros jeitos de usar a boca” decidem ser impossível: sua poesia é mais poderosa do que qualquer outra do gênero. Se Kaur é um soco no estômago a cada página, Nayyirah é a definição de compreensão, irmandade e girl power que toda garota precisa na vida.

i am mine.
before i am ever anyone else's.

Lang Leav

Mesmo com poemas um pouco maiores do que os outros autores dessa lista, Leav consegue prender a atenção do leitor em cada palavra que profere sobre amor e auto conhecimento. Seu estilo é um pouco mais denso e detalhado, o que pinta uma cena mais realista fácil de se emergir.

Don't let them tell you that your pain should be
confined to the past, that it bears no relevance to
the present. 

Your pain is part of who you are.

They don't know how strong that makes you.

Amanda Lovelace

O título de seu livro já diz tudo o que eu poderíamos usar para convencer uma pessoa a ler seus poemas: “a princesa salva a si mesma nesse livro”. Um lançamento fresquinho no mercado brasileiro, ela fala de amor de uma maneira empoderadora nunca vista antes. Apostamos nela para ser a sucessora de Kaur no título de “poeta mais adorada do Brasil”.

to
everyone
who said
my
great-grandmother
had a
wee bit of witch
in her:

she's
got nothing
on me.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s