Ranking de Clipes: Lady Gaga

19. Edge Of Glory

É só a Gaga ANDANDO POR UMA RUA E ENTRE OS PRÉDIOS. Último lugar só pela raiva que eu tenho de ter que escrever sobre esse quase não-clipe. Pô miga, e a música é boa, deu preguiça no dia do brainstorm de ideias pro clipe?

Nota: 3 beys bocejando de tédio

18. Marry The Night

Aqui temos o ápice da Gaga artística com um clipe de FUCKIN 13 MINUTOS! É pra ser uma historinha sobre o começo da carreira dela e inspirar os fãs, mas é apenas muito chato. Nem a parte editada só com a  música é legal.

Nota: 5 Britney fumando pensando REALLY, BITCH?

17. Million Reasons

O posicionamento desse clipe no ranking não tem nada a ver com a música, que inclusive amamos. É só que ele é meio sem graça, né? Toda aquela preparação pra fazer uma maquiagem que a gente consegue imitar no espelho, meio bêbada, não dá. Até achamos bonitos clipes com a galera tocando violão e deusmelivre dizer que não curtimos country, só não é o que queremos da Gaga. Fica a impressão que tavam cortando o orçamento.

Nota: 3 Maiara e Maraisa’s

16. You and i

Um monte de cenas angustiantes reunidas em um mesmo vídeo clipe. Parece um episódio saído da série “Criminal Minds” e causa tanta aflição que mal conseguimos assistir até o final. Jo Calderone que nos desculpe.
Nota: 2 Hannibal Lecter

15. Perfect Ilusion

Bem diferente da Lady Gaga toda montada, esse foi o melhor jeito dela se reinventar e traduziu bem a vibe de Joanne. Mostra a verdadeira rockstar que ela é!
Nota: 2 Lady Gagas cantando com o Metallica no Grammy

14. Judas

Gaga faz um versão moderninha da bíblia: muita jaquetinha perfecto, tachinha, motocicleta e etc. A ousadia já vale uma boa colocação, mas este clipe também tem a melhor coreografia pra aulas de street dance.

Nota: 3 Pugliesis malhando

13. Alejandro

Por que todo o clipe da Lady Gaga tem que ser do tamanho do episódio de uma série? Se fosse uns anos antes, todas essas introduções iam ter que ser cortadas pra caber no Disk MTV. Se fosse uns anos depois, tinha que cortar porque nenhum jovem consegue manter a atenção no mesmo lugar por tanto tempo. I digress. Aqui temos Gaga mostrando que tem o pop em suas mãos e sabe como controlá-lo, mas, depois que a gente entende a mensagem, fica um pouco repetitivo (como todos os clipes dessa época).

Nota: 2 modelos brasileiros de cueca

12. Lovegame

Essa é uma das músicas mais legais da Gaga e um lembrança dos tempos simples: ela ainda não era a Mother Monster cheia de referências, mas já tinha sua marca com os looks ousados e o fato de não usar calças. Ainda tem coreô bacana com momentos de sensualidade em um momento cosplay da Britney em toxic.

Nota: 3 Lady Gaga participando de The Hills no começo da carreira

11. John Wayne

Há quem diga que este é o melhor clipe de Joanne. Em sua fase rock/country, Lady Gaga vem sem medo e faz o que dá na telha. Por mais que tenha certa continuidade entre os clipes (“Perfect Illusion”, “Million Reasons” e agora este), “John Wayne” é o mais doido e o mais Gaga. Muitas cores, muita viagem, muitas coreografias magníficas, referências à cultura pop (Planeta Terror 💖) e a trilha sonora perfeita. Devemos todos ser gratos pela parceria entre Gaga, Kevin Parker e Mark Ronson. Amém.

Nota: 4 Kevin Parker abençoando o rolê

10. Just Dance

QUE HINO! Como Gaga podia ser tão Gaga e tão identificável ao mesmo tempo? Just Dance nos mostra!!! Queria voltar pra quando esse clipe foi lançado e a gente nem fazia ideia do que aconteceria dali pra frente. Um clipe que mostra uma festa em casa, com todo mundo bebendo e se pegando, não tem nada de original, mas ficou no meio da nossa lista pela nostalgia (e por não ter uma introdução gigante).

Nota: 5 QUE HINOOOs

9. Till it happens to you

Essa balada incrível foi liricamente construída para ser relacionável de maneira genérica (o que é bastante positivo), até que assistimos o clipe. Ele retrata diversos abusos sexuais, levantando a relevância de discutir esse problema e nos mostra que essa foi a real inspiração para a música.
Nota: 3 prêmios Nobel da Paz

8. Anything Goes

A “fase jazz” da Gaga é uma das coisas mais fantásticas da música contemporânea. Desde o começo da carreira, ela provou que sempre tinha algo de novo para tirar da manga e que não tinha medo de mudar e se reinventar. Ao lado de Tony Bennett, ela se permitiu e deixou uma nova Gaga nascer, com ênfase no vozeirão que deus do céu. E o clipe de “Anything Goes” é isso: um clipe simples, sem firula, mostrando o estúdio e os bastidores desse duo sensacional, com takes dos seus shows e o que rolou na gravação do Cheek to Cheek. É lindimais!

Nota: 3 Louis Armstrong com cara de surpresa

7. Applause

O carro-chefe da era Artpop, é pretensiosíssimo, mas pelo menos tem a mesma duração da música, BRINKS!! O vídeo é simples, mas é cheio de referências culturais, como a mitologia grega, cinema expressionista alemão e até a antigas fases da Mother Monster. “Chocado que Gaga inventou a arte contemporânea”, diria alguém na internet…

Nota: 1 jesus restaurado

6. Poker Face

O início de tudo!! Poker Face é o primeiro clipe em que realmente vemos Lady Gaga como sempre iremos lembrá-la. Já temos mais $$$ do que em Just Dance, mas menos do que os clipes que seguiriam – o que de forma alguma é ruim, pois temos mais Gaga e menos histórias gigantescas que não acrescentam em nada. Só temos a dizer: saudade.

Nota: 3 Thrilers do Michal Jackson

5. Born This Way

Ficamos um pouco entediados com a introdução gigantesca e desnecessária, mas Gaga de et/esqueleto é tão visualmente agradável e a coreografia tão on point que ela redime.
Nota: 4 Katy Perry versão ET

4. G.u.y.

Por mais que seja um hitzão da porra, “G.U.Y.” sempre vai sofrer por ter saído de Artpop aka o disco mais injustiçado do pop – nunca vou entender o ódio das bichas por esse álbum, francamente, viu. Além de ser uma música incrível, o clipe de “G.U.Y” é uma verdadeira obra-prima audiovisual abençoada pelos deuses gregos romanos e todos os que há por aí. A Gaga está linda, os cenários são lindos, os dançarinos e as coreôs são absurdas, só há amor a ser expressado por esse videoclipe.

Nota: 5 Vênus de Milo do Botticelli

3. Paparazzi

Saudade da Gaga conceitual, cheia das fantasias locona mesmo que dominava as baladas em 2009. Podia parecer que não, mas nunca foi tão fácil de se identificar com ela do que naquela época: quem não stalkeou um crush uma vez na vida que atire a primeira pedra. Esse clipe é todo bonito, das cores, às coreografias, aos looks, à Gaga avisando que matou o namorado. Por mais Gagas obsessivas de roupa de abelha.

Nota: 3 Alexander Skarsgård Muito Gatos

2. Telephone

Mesmo se o clipe fosse muito ruim, só de ter a Beyoncé ele já estaria entre o top 5. Mas Telephone vai além, é um clipe divertido/colorido, com referencias ao cinema. E acho que o único clipe da Gaga que não incomoda ser um “curta metragem”. Será que a aguardadissima continuação ainda sai?

Nota: 4 Blue Ivy orgulhosas

  1. Bad Romance

É clipe mais Lady Gaga da Lady Gaga. E também é o melhor deles, mais interessante visualmente e com momentos mais icônicos. Tá tudo lá: as garrinhas de monstro, as referências fashion glamurosas, os acessórios exóticos, etc. Gaga nesse clipe conseguiu deixar sua marca e entreter os não-little monsters.

Nota: 5 Lady Gagaúcha

Outros rankings:

Katy Perry

One Direction

Demi Lovato

Sandy

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s