Música da semana #20: Rise – Katy Perry

É natural ficar obcecado por um artista quando ele lança algum material novo. Atualmente na minha playlist só existe Ed Sheeran e Katy Perry. Meus interesses musicais se resumem praticamente a esses dois, que lançaram singles recentemente e estão prestes a debutar seus álbuns. A expectativa é grande, então enquanto o álbum inteiro não vem, eu fico ouvindo as mesmas músicas no repeat até lá. O Ed já esteve aqui na Música da Semana com seus dois singles de estreia do álbum Divide, então nada mais natural do que a Katy também entrar para a lista.

Já falamos aqui sobre Chained to the Rhythm, música ativista que Perry lançou no início do mês. Hoje eu venho para falar de uma música que já não é nenhuma novidade no repertório dos fãs da cantora. O single Rise foi lançado em julho do ano passado e foi escolhido como tema das Olimpíadas de 2016 pelo canal NBC. Já da para ter uma noção de que o tema é superação só por essa escolha, e a mensagem da música é realmente inspiradora.

Um dos motivos pelos quais Katy é uma das minhas artistas preferidas, são os hinos relacionáveis que ela escreve. Músicas como Rise, que fazem com que eu consiga voltar a me sentir capaz quando já perdi a fé em mim mesma. Ultimamente as coisas parecem um pouco embaçadas na minha vida, como aquele momento em que alguém com miopia tira os óculos e tenta arduamente decifrar uma frase a 10m de distancia, mas falha porque tudo parece um borrão sem fim. Ando frustada comigo mesma, com as minhas decisões, mas também me sinto exausta de tanto desviar das pedras que a vida coloca no meu caminho. Nesse momento, me sinto como Katy no clipe de Rise, buscando resiliência em um momento que não parece haver luz no fim do túnel.


Então eu lembro sobre a metáfora do clipe: o mesmo balão que a derruba, que a machuca, a faz voar. Lembro que é preciso colocar um pé na frente do outro, conhecendo meus limites, mas também conhecendo minha força. Que a música tem um quê de Maya Angelou e seu poema “Still I Rise”, que discute a força feminina acima de tudo. Lembro que posso sim ser como essas mulheres fortes, que meu sofrimento não é mais ou menos merecedor de atenção do que o de ninguém. Tatuei essa música em mim para que eu lembrasse todos os dias que, da minha maneira única, eu consigo superar meus medos e meus obstáculos. Eu vou voar; eu vou me reerguer.

Anúncios

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s