10 histórias de (quase) assalto que vão melhorar seu dia

Comecei a coletar histórias de assaltos, mas percebi que as melhores histórias são as das pessoas que não foram assaltadas (até porque não tem a parte triste, né). A vez que cheguei mais perto do que podemos chamar de quase-assalto, na verdade, não era um assalto. Eu tava voltando da faculdade tarde da noite, indo para a casa do meu namorado da época. Desci na parada, fui andando pela rua escura. De repente vem um cara na minha direção. O bairro não era dos mais seguros. Achei que seria prudente atravessar a rua (onde não passava um carrinho sequer). Quando to no meio da rua, o cara começa a atravessar junto comigo. Naqueles milésimos de segundos já me imaginei jogada no chão esfaqueada enquanto ele fugia com minha mochila sem nada de valor e cheia de polígrafos. Eis que ouço “Roberta, o que tu tá fazendo?”. Era meu namorado ali esse tempo todo.

Leia mais algumas ótimas histórias de pessoas que não foram assaltadas.

1. O bandido honesto

Eu não entreguei as coisas e, após isso, o malfeitor me deu parabéns. Ele disse: “fez bem em não me entregar, aqui não tenho nada para te machucar”. Mas não entreguei porque fiquei paralisado. Não foi um ato de coragem.

Ricardo Hoffmann

giphy

2. Não tava afim de ser assaltado

Na parada do Lindóia do camelódromo, um transeunte se aproximou e começou a conversar quando ainda não havia ninguém na parada. Ao decorrer da conversa a parada foi ficando cheia de pessoas, mas ele continuou conversando, até que ele falou bem de perto “TO COM O CANO AQUI, ENTREGA TUDO”. Eu havia comprado um celular a pouco tempo, e com um salário de jovem aprendiz provavelmente eu demoraria uns 20 anos para recuperar a grana, então, após parar para pensar por 2 segundos, ataquei o indivíduo o empurrando para baixo do meio fio do ônibus (que é bem alto) e quando ele caiu eu dei um CHUTÃO no peito dele, e nesse momento meu chinelo tamanho 48 saiu voando. Ele caiu no chão com o chute e começou a falar coisas que eu nem entendia, então eu fui andando na direção dele e gritando, mas na verdade só queria pegar meu chinelo. Quando fui na direção dele, ele saiu correndo e FIM.

Alexandre Fritsch

giphy-1

3. Dúvida eterna

Estava eu voltando do estágio, na rua entre a Fundação e a UFRGS, o local muito conhecido por rolar diversos assaltos. Naquele dia eu tinha esquecido o celular em casa. Um cara muito estranho vem e começa a andar próximo de mim e pergunta “sabe onde fica o Fórum?” e fica andando muito grudado em mim, e eu digo “não sei”. Ele se vira e para na minha frente e diz “me passa o teu celular?” e eu respondo “não vai rolar”. O cara fica me olhando com uma cara muito estranha e eu vou embora. Até hoje eu não sei se foi um assalto ou uma cantada.

Gabriela Hoffmeister

giphy-2

4. Ladrão com empatia

Uma vez vi um cara furtando coisas da mochila de uma gringa que tava esperando o bus, ele me viu. Subi no meu ônibus e ele foi atrás de mim, antes da roleta me sentei pra tirar a grana e ele sentou do meu lado pedindo dinheiro para a passagem, eu disse que não tinha. Dai ele falou para eu passar tudo que eu tinha na carteira… Mostrei pra ele que eu só tinha 3 reais. Ele me olhou e disse “Cara, não vou te foder…” E logo depois “Motora peguei o ônibus errado, vou descer aqui”.

Tiago Trindade

giphy-gif

5. Assalto gelado

Eu fui assaltado com um picolé. Reagi e tomei uma picolezada (eu lambi a blusa depois).

Rafael Bennett

giphy-3

6. Não entendir

Até hoje não sei se foi bem um assalto. Mas há milhões de anos eu trabalhava no caixa de uma loja e chegou um homem dizendo pra passar o dinheiro. Eu respondi: “desculpa, moço, não estou autorizada a tirar dinheiro do caixa”. Ele fez cara de “WHAAAT?”, insistiu e eu respondi a mesma coisa de novo. Ele foi embora e aí que me dei conta. “Gente, será que era assalto?”

Gabriela da Silva

giphy-4

7. Assalto dá uma vontade de balada

Já apanhei de 5 meninas tentando pegar a minha bolsa na Augusta, uma mulher me ajudou batendo nas meninas com o guarda chuva, sobrevivi, não levaram a bolsa e ainda sai pra balada.

Camila Salviano

tenor

8. Oferta e demanda

O colega de trabalho da minha mãe foi ~abordado no Parcão e quando foi entregar o celular o assaltante “bah, meu, sério que é esse teu celular? vamos fazer assim, tu tem interesse em comprar um melhor? eu tenho uns iPhone, uns Samsung massa, se tu tiver interessado.”

Mariana Dal Carobo

giphy

9. Peraí

Eu tava andando de bicicleta com a Caroline na Ipiranga e paramos em uma sinaleira e ela tava falando no celular. Veio um cara nos assaltar e ele ficava pedindo pra ela passar o celular e ela super focada na conversa nem se deu conta e ficou fazendo um sinal de “peraí” com a mão. Eu parada do lado olhando pra ela depois pra ele, e ele ali falando pra ela passar o celular e ela nem aí. O sinal abriu e gritei pra ela pedalar porque tavam nos assaltando. Fugimos.

Bruna Rangel

giphy-5

10. Ops!

Alguém veio de bike, atrás de mim. Senti algo puxando a minha bolsa, mas agi por impulso e puxei ela de volta. Nisso, o cara cai com a bicicleta no chão. Foi aí que descobri que era um assalto.

Jonara Cordova

giphy-7

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s